O Êxtase de Judite

“Um corte em diagonal no supercílio, causado por uma ave ao colidir com o seu corpo em queda livre fez com que Judite chorasse a dor do pássaro e se lembrasse do seu primeiro amor atropelado por um trem cargueiro. Murilo lhe dedicava poemas e dançava diante de sua janela. Depois lhe veio à memória a cadela vira-lata afogada no lago da fazenda do avô. Chinelinha. E Ismália, a melhor amiga, morta, caída do alto de uma roda gigante. Morreu com uma maçã do amor na boca.”

por Marcelo Maluf